quarta-feira, 28 de setembro de 2016

Lua Cheia sobre o castelo de Sesimbra!


Quem foi caçador sabe que é preciso esperar o momento certo para carregar no gatilho. O fotógrafo português que fez esta sequência de imagens, no dia em que a lua foi cheia neste mês de Setembro, procedeu como caçador experimentado, esperando o momento certo de disparar a sua câmara fotográfica. E fez isso repetidas vezes, a intervalos regulares para, mais tarde, poder fazer esta montagem que aqui vemos. Eleita como foto do dia, pela NASA, na passada sexta-feira.
Fotógrafo - Miguel Claro
Data - 2016-09-16

terça-feira, 27 de setembro de 2016

Outra vez o futebol!

Hoje é dia de campeões e não tenho como evitar pegar, também eu, no assunto que ocupa tudo o que é site de notícias ou canal de televisão. Que é que eles são mais que eu?
O Benfica tem que ir, amanhã, a Nápoles e o mais certo é vir de lá com o rabo entre as pernas, mas isso são contas de outro rosário. Hoje calha ao Porto e ao Sporting mostrar o que valem e só Deus é que sabe como acabarão as coisas para eles os dois.
O Sporting vai até Varsóvia pensando que não será difícil vencer uma equipa que acabou de enfardar 6 batatas no último jogo. A imagem de Jesus que vêem aqui ao lado é enganadora. A ele ninguém o cala (segundo ele próprio afirma) e lá por dentro está convencido que tem equipa para bater os polacos. E quem sabe? Até pode ter e eu nestas coisas de jogos com equipas estrangeiras sou sempre da casa. E Portugal bem precisa de quem o ajude a subir no ranking, pois ultimamente tem sido só para baixo.
Por seu lado, o Porto vai até Leicester, terra do campeão da Premier League que nem em sonhos quer perder este jogo. Os dragões não têm feito grande figura, desde que começou esta época, o fantasma do Lopetegui paira ainda sobre a cidade do Porto, mas, quem sabe regressam com uma vitória do reino de Sua Majestade a rainha Isabel II.
Fazer prognósticos é tarefa muito difícil e razão tinha o João Pinto que dizia: "só no fim do jogo". E como surpresas acontecem muitas vezes nestas provas, podemos ver um Sporting a levar no pêlo, em Varsóvia, e um FCP a regressar a casa satisfeito da vida, depois de envergonhar a cara ao campeão inglês e ao seu "matador" Islam Slimani.
Logo à noite, pelas 22.00 horas saberemos a resposta e que não empatem é o que eu peço, pois de empatas ando eu cheio!

segunda-feira, 26 de setembro de 2016

Com um sorriso de orelha a orelha!

Porque não há-de rir se é um homem feliz?
Pode dizer-se que nasceu com o cu virado para a lua. Aos 20 anos já era vice-presidente da Câmara de Fafe e aos 28 Secretário de Estado. Esteve em tudo que era governo, especialmente nos de Cavaco Silva de quem era o «Moço de Recados». Está quase a fazer 60 anos, mas já vive confortavelmente de reformas e subvenções do Estado, ou seja, vive à conta do erário público desde os seus 20 anos. É obra!


Mesmo assim não se coíbe de trabalhar (ou fazer que trabalha) em várias empresas e organizações, faz até parte de uma sociedade de advogados, para garantir um rendimento anual que se veja. E para que não lhe falte nada, nem à sua família, ainda faz uma perninha na televisão, com um comentário semanal sobre a actualidade política que lhe deve render mais dois ou três mil euros mensais.
Ia-me esquecendo de acrescentar que também é Conselheiro de Estado, o que faz com que esteja a par de todo o tipo de mexericos, mais ou menos importantes, que circulam no meio. Não podia a televisão arranjar melhor comentador, ele sabe tudo e de tudo fala com a maior alegria. Ele faz e desfaz, aprova e reprova, ainda antes de os outros terem posto a matéria em agenda.
Tudo lhe corre bem, porque não haveria de rir?

Presunção e água benta ...!

No rescaldo da sexta jornada do nosso campeonato há uma grande verdade que salta à vista e ninguém pode negar, o Paços de Ferreira é quatro (4) vezes melhor que o Sporting de Jorge Jesus.
Estão a perceber porquê?
Se nesta jornada o Paços enfiou duas bolas na baliza do Rio Ave e este enfiou três na baliza do Sporting, está-se mesmo a ver o porquê da minha afirmação. E para não ser muito mauzinho para os rapazes do JJ que ele afirma serem os melhores, estou a descontar o golo que eles marcaram em Vila do Conde, assim como o que o Rio Ave marcou hoje na capital do móvel, senão seriam seis (6) vezes e não quatro.
Dou-me ao trabalho de ir falando nestas coisas para se perceber a falta de humildade que vai lá pela casa dos lagartos.
Arrogância ou presunção ficam muito mal a quem delas faz uso para se elevar aos olhos dos outros. E tem sido esse o grande defeito do treinador dos lagartos desde que abandonou a Luz. Ficou às escuras e vai andar às apalpadelas até que as circunstâncias o façam mudar.

sábado, 24 de setembro de 2016

Mama, mas não abuses!

Por conta do Benfica que (não jogando muito bem) conseguiu retomar a dianteira e deixar os lagartos a chuchar no dedo (sei que eles estiveram todo o tempo de jogo a rezar para que o Benfica não ganhasse, de modo a poderem ficar no primeiro lugar) deixo-vos aqui uma prenda especial, correndo o risco que me tranquem este blog também. Mas como sou do género de correr riscos, desejo-vos um bom domingo e cá vai ela.


Esta mulher (Kyla Cole) tem sido a minha musa inspiradora nos últimos anos!

Pernas e pernil!


Num certo dia do ano passado, passei por Chaves à hora de almoço e resolvi entrar num restaurantezeco, à face da estrada, que ninguém daria nada por ele. Como não sou homem de desperdiçar dinheiro, perguntei qual era o menu do dia, pensando pagar pelo almoço não mais de 7.50€ com tudo incluído. Pernil de porco cozido, foi a resposta que recebi. Vamos nessa, ó Vanessa, pernil de porco é coisa que sempre me faz vir a água à boca.
Não me pagam nada pela publicidade, mas só vos digo que aquele pernil (curado à transmontana) me soube qual manjar dos deuses, além do preço que se ficou pelos 7€. Como, hoje ao fim da tarde, vai lá jogar o Benfica, logo pensei em aproveitar a ocasião para matar dois coelhos de uma cajadada. Primeiro e com muita calma saborearia o pernil que, com alguma sorte à mistura por causa do excesso de pessoas que hoje invadirão Chaves, estaria tão bom como aquele que comi no ano passado. E depois de bem comido e bem bebido faria uma passeata pelas margens do Tâmega para ajudar a digestão, antes de me dirigir ao estádio para ver se o meu Benfica tem pernas para correr durante 95 minutos e trazer os três pontinhos que nos fazem falta para continuar a liderar o campeonato.
Ontem expliquei à minha cara metade qual era o plano e já quase a convencera, ela que nem quer ouvir falar em futebol, quando alguém que assistia à conversa me estragou a festa, avisando que não há bilhetes disponíveis, está tudo esgotado desde anteontem. Ou seja, comer o tal pernil eu até podia, mas ver o Glorioso estava fora de questão. E considerando que o tal restaurantezeco podia estar cheio até à porta, ou o pernil não constar da ementa para hoje, preferi abortar o meu plano e ficar em casa sossegadinho. Entre combustível, portagens e almoço já poupei quase 100€ e não conto com o bilhete para ver o Benfica, porque estão esgotados.
Na minha terra costuma dizer-se: boa romaria faz quem em sua casa fica em paz! E é isso que vou fazer.

sexta-feira, 23 de setembro de 2016

Nó difícil de desatar!

Diz-se que só passados 50 anos se pode escrever a história com um mínimo de possibilidades de erro quanto aos factos narrados. Pois, de 1970 até hoje, passaram-se apenas 46 e eu não deveria estar a abordar o assunto, mas não me sinto preparado para esperar mais meia dúzia de anos. Receio não ter vontade, ou não estar apto para escrever seja o que for, nessa altura.
O facto a que me refiro, sobre o qual, por mais estranho que pareça, ainda não se conhece toda a verdade, é a «Operação Nó Górdio», a maior operação militar levada a cabo pelas tropas portuguesas durante a Guerra do Ultramar. Foi levada a cabo em Moçambique, no «Planalto dos Macondes», na segunda metade do ano de 1970. Só para se ficar com uma ideia do tamanho da coisa, deixo aqui dois quadros que detalham quais as Unidades Militares que compunham os cerca de 8.000 homens que foram envolvidos nessa operação.



A primeira consideração que gostaria de fazer e que, passados tantos anos, ninguém me levará a mal, é que foi a maior estupidez em que o general Kaúlza de Arriaga poderia ter pensado. Ele pensava ganhar a guerra com este grande levantamento militar, esquecendo-se que aquilo era uma guerra perdida desde o princípio. Desde 1962 que já não havia a presença de qualquer país colonizador, em Africa, excepto Portugal. Todas as directivas da ONU iam no sentido de proibir Portugal de continuar aquela guerra sem sentido. Quem é que nessas condições poderia conceber uma tal operação envolvendo tantos meios e pondo em risco tantas vidas humanas de um e outro lado? Só um louco ou um estúpido, digo eu.
Há na internet muitos relatos feitos por "comandantes da Frelimo" que ridicularizam a operação e desmentem muitas das afirmações constantes dos relatórios das nossas tropas. Do mesmo modo, há do nosso lado relatos que se contradizem em pontos onde não poderia existir qualquer dúvida, como o número de baixas, por exemplo. Há quem refira que foram 132 os mortos do nosso lado e quem contraponha que foram apenas 27. O que é um facto indesmentível é que a operação serviu apenas para melhorar as vias de comunicação, aumentar as pistas de aviação e pouco mais.
Devido ao início das obras de construção da Barragem da Cabora Bassa, a guerra deslocou-se para a zona de Tete, com infiltração dos guerrilheiros da Frelimo via Malawi. E a situação de aperto que as nossas tropas viviam em todo o distrito de Cabo Delgado melhorou muito depois disso, pela razão da deslocalização da guerra e não como resultado da famosa operação engendrada pelo general Kaúlza de Arriaga.
Para terminar, devo dizer que não pretendo contribuir para a História com esta minha abordagem, limito-me apenas a deixar escrito o que penso sobre o assunto. Aos que estiverem interessados em conhecer a "operação" com mais pormenores, além daquilo que podem encontrar na Wikipédia, deixo aqui o endereço de um blog que vale a pena visitar.